Aquaponia

Podemos já dar início a este artigo com um breve resumo de aquaponia segundo o Parlamento Europeu:
"é uma nova revolução na produção de alimentos. A aquaponia é um modelo de produção sustentável de alimentos, com base no princípio básico da agricultura biológica, que combina hidroponia (o cultivo de plantas na areia, gravilha ou água) e aquicultura (piscicultura). A ideia é combinar estas duas técnicas num único sistema, de modo a reforçar os efeitos positivos de cada técnica e anular os efeitos negativos ".

Em termos de enquadramento histórico:

Chinampas (1000 A.C.) – os Astecas cultivavam ilhas artificiais flutuantes de plantas em lagos com peixes. Cultivavam milho, abóboras e outras plantas, juntamente com peixes que engordavam para alimentação.

Arrozais chineses (séc. VI) – patos em gaiolas colocadas sobre arrozais com peixes.

Anos 80 – Mark McMurty e Prof. Doug Sanders (Univ. Carolina do Norte) criaram primeira aquaponia em circuito fechado (água dos tanques dos peixes irrigava gota-a-gota tomates e pepinos numa cama de areia, regressando depois aos tanques).

Início de anos 90 – Tom e Paula Sperano pegaram nas ideias de McMurty e Sanders e desenvolveram growbeds em sistema ebb and flow, alimentadas por tanques com Tilápias. Foi o início dos sistemas usados nos dias de hoje.

O ciclo biológico da Aquaponia

Relação simbiótica de 3 grupos:

  • Animais aquáticos
  • Microrganismos
  • Plantas

Subsistemas biológicas em simbiose:

Sistema Aquícola (animais)

  • Peixes
  • Crustáceos
  • Répteis 

Sistema aquícola (bactérias)

  • Nitrosomonas
  • Nitrobacter

Sistema hidropónico

  • Vasto conjunto de vegetais

Os inputs / outputs do sistema aquícola:

inputs:

  • H2O limpa
  • O2
  • Temperatura 
  • Alimento
  • Adequada amplitude de pH
  • Energia

Outputs

  • CO2
  • Compostos azotados
  • Amónia (NH3)
  • Amónio (NH4+)
  • Outros nutrientes e sais (P, K, Ca, Mg, S, ...)
  • Peixe ou crustáceos

Plano estratégico para aquicultura Portuguesa 2014 - 2020

Objetivo estratégico nacional:

Aumentar e diversificar a oferta de produtos da aquicultura nacional, tendo por base princípios de sustentabilidade, qualidade e segurança alimentar, para satisfazer as necessidades de consumo e contribuir para o desenvolvimento local e para o fomento do emprego.

Resultados a alcançar:

Até 2023, um aumento da capacidade produtiva de 25.000 toneladas (total de 35.000 ton/ano em 2023).

RAS (E aquaponia)

Aquacultura em terra através de:

  • RAS(RecirculatingAquaculture Systems)
  • e,é claro,sistemas sustentáveis em circuito fechado, como a AQUAPONIA!
  • Utilizando espécies marinhas locais ou espécies exóticas de água doce!

Espécies aquícolas mais comuns em aquaponia

Espécies Autóctones

1. Bogas

2. Ciprinídeos

3. Barbos

4. Esturjão

5. Lampreia

6. Ruivaco

7. Ruivaco-do-Oeste

8. Salmão

9. Saramuga

10. Sável

11. Truta

12. Verdemã

Espécies Alóctones

1. Achigã

2. Perca sol

3. Peixe-gato

4. Carpa

5. Chanchito

6. Pimpão

7. Lucio

8. Lucio perca

9. Truta

10. Tenca

Exóticas

1. Perca fluviatilis

2. Perca do nilo

3. Perca de sacramento

4. Perca-prata

5. Peixe gato

6. Pirarucu

«ECO FISH», O peixe ecológico

Porque se fala tanto na Tilápia?

  • Espécie mais estudada em aquacultura de água doce e em aquaponia
  • Aspetos ecológicos e biológicos
  • Aspetos económicos

A tilápia

 

A biologia: 

  • Maturidade: Lm 18,6 (6 - 28 cm)
  • Tamanho máximo: 60 cm
  • Idade máxima: 9 anos
  • Peso máximo: 4,3 kg
  • Temperatura adequada: 25 a 30aC
  • Omnívoro (fundamentalmente fitoplâncton e algas)
  • Reprodução ocorre apenas a temperatura > 20oC
  • Tamanho dos ovos: 1,5 mm
  • Incubação bucal

Porque a Tilápia é um sucesso na aquaponia?

  • Fácil acesso a alevins em todo o mundo
  • Técnicas e requisitos aquícolas bem conhecidos e testados
  • Adaptável a diferentes tipos e sistemas de cultura
  • Adaptável a piscicultura de multiespécies (policultura)
  • Rápido crescimento e ganho de biomassa
  • Adaptação fácil e rápida a diferentes formatos de alimentos (rações em granulado, vegetais, congelados, etc.)
  • Omnívoro (aceita, sem prejuízo do seu crescimento e saúde, uma dieta herbívora, desde que de elevado conteúdo proteico)

Porque a Tilápia é um sucesso na aquaponia?

  • De fácil manutenção e transporte
  • Tolerância á manutenção em grandes densidades
  • Resistente a doenças de origem bacteriana e infestações parasitárias
  • Baixa mortalidade
  • Ausência de canibalismo e territorialidade (em grandes densidades)
  • Elevada taxa de conversão proteica
  • Potencial do valor comercial (fresco)
  • Fácil processamento
  • Baixa acumulação de toxinas e metais pesados
  • Aparência e sabor
  • Elevada qualidade proteica
  • Leva a uma redução do consumo de proteína animal na piscicultura

Desvantagens da produção de Tilápia

  • A temperaturas mais elevadas obtêm taxas de crescimento maiores
  • Metabolismo entra em estado de dormência abaixo de 20 C
  • Risco de contaminação ou povoamento voluntário ou involuntário de rios e lagos
  • Legislação atual muito restritiva
  • Preconceito face ao consumo e comercialização de peixe de água doce
  • Níveis de ómega 3 reduzidos face a algumas espécies marinhas

Risco ambiental 

Situações graves na América Central e do Sul e na Ásia (regiões tropicais a subtropicais) e não é um predador mas compete por recursos (alimento e espaço)

Crustáceos

  • Camarão gigante de água doce
  • Machos atingem 32 cm e fêmeas 25 cm
  • Temperatura entre 24 e 30oC
  • Necessitam de salinidade (baixa) na fase larvar (requisitos especiais de K,Mg e Ca; provavelmente também de Iodo)
  • Na fase de crescimento e engorda não necessita de água salgada
  • Não representam um risco ambiental (conhecido)
  • Têm um grande potencial em termos de valor de mercado
  • Utilidade na limpeza de algas (incluindo em raízes)
  • Apresenta elevada mortalidade a densidades altas (canibalismo/territorialidade) 
  • Implica alguma mão-de-obra extra (limpezas devido á introdução de peças de PVC para refúgio na mudança da casca)
  • Boa espécie acessória mas não a principal do sistema quando não é dominada a técnica durante toda a fase de crescimento
  • Sugestãoo adicional em pequenos sistemas aquapónicos:
  • produção de pequenas espécies de crustáceos algívoras ornamentais de grande valor comercial

A aquaponia é biológica / orgânica?

  • produção de alimentos nutritivos e de alta qualidade, que contribuam para a saúde e o bem-estar;
  • Fertilizante natural a partir de processo biológico;
  • Não há utilização do solo (sem risco de contaminantes);
  • Sem pesticidas nem adubos químicos de síntese, nem uso de organismos geneticamente modificados, nem hormonas, nem antibióticos;
  • Poupanças de água muito superior face a outras técnicas agrícolas;
  • Não se agride a paisagem nem se prejudica a biodiversidade, prevenindo-se a sua degradação.

Aquaponia comercial

A aquaponia como negócio

  • Uma atividade empresarial
  • Tem de ser economicamente viável para ser sustentável
  • A maioria falha nos primeiros 2 anos ou diversifica a atividade para áreas acessórias
  • A rentabilidade tem de advir da produção de plantas e de peixe

Diferentes tamanhos para diferentes objetivos

Auto-consumo

  • Não gera rentabilidade
  • Alimenta família e amigos

De subsistência

  • Cobre apenas os custos
  • Venda a restaurantes e consumidores locais
  • Não gera crescimento e rentabilidade

Comercial

A produção tem de gerar rentabilidade

Venda não só a negócios locais

Ser um empreendedor de aquaponia significa

1. Aprender a manter os peixes vivos (tecnologia)

2. Aprender a alimentar e a promover o crescimento dos peixes (fisiologia e tecnologia)

3. Aprender a tirar rentabilidade do crescimento do peixe (mercado)

4. Aprender a fazer crescer plantas (tecnologia)

5. Aprender a tirar rentabilidade do crescimento das plantas (mercado)

6. Aprender a proteger e a desenvolver as plantas de forma biológica

7. Aprender a equilibrar a relação simbiótica entre plantas, peixes e bactérias

8. Aprender a planear as colheitas e as sementeiras sem perturbar o equilíbrio de nutrientes (input e output)

9. Aprender a comunicar o que faz de forma a «educar» os seus clientes

10. Aprender acerca de sistemas (hardware e software)

11. Aprender sobre como gerir uma empresa (gestão financeira, salários, impostos, ...)

12. Aprender a tornar-se o... URBAN FARMER do futuro!

Estratégias para iniciar

1. Experiência prévia prática (doméstica ou comercial) com produção alimentar de diferentes culturas e sazonalidades e testar aceitação local

2. Definição de objetivos (ambientais, nutricionais e saúde, sociais, económicos) e não perder o seu foco. Encara a aquaponia como um meio ou um fim?

3. Fazer formação, que irá permitir: 

  • Ajudá-lo a obter os conhecimentos de que necessita para tomar decisões informadas;
  • Economizar tempo e dinheiro evitando erros;
  • Ensinar-lhe os passos a dar para iniciar e operar o seu projeto aquapónico. 

4. Pense localmente. A aquaponia é essencialmente um negócio local e quanto mais próximo estiver do seu cliente, a todos os níveis, maior a probabilidade de sucesso

5. Orientação para o cliente. Conheça o mercado e o que o consumidor quer. Envolva o consumidor no seu negócio. Conheça todos os negócios locais (catering, restauração, hotéis, mercados locais, clubes desportivos, escolas, lares, lojas de produtos alimentares, ...)

Bons cultivos ;)